O Novo Varejo

A China é a grande líder mundial em volume de transações de e-commerce ($1.7T) e pagamentos digitais. Mas com um mercado digital extremamente maduro, os grandes players da tecnologia se viram obrigados a explorarem outras áreas que apresentavam maior potencial de crescimento rápido. Com isso, nasce o “New Retail” ou Novo Varejo.

O QUE É
O NOVO VAREJO?

O “New Retail” foi um termo cunhado pelo fundador do Alibaba, Jack Ma, para descrever como o offline, o online e o supply chain podem converger para criar um novo setor de varejo totalmente integrado, diferentemente do varejo tradicional com o conceito de espaços diferentes. Em linhas curtas, o “Novo Varejo” refere-se à transformação digital do setor de varejo.

O movimento foi iniciado pelas gigantes de tecnologia na China como uma resposta para a desaceleração do crescimento do e-commerce, onde os custos de aquisição do cliente estavam cada vez maiores.

Mesmo com um mercado maduro, o e-commerce correspondia a apenas 15% do varejo na China. Logo, o foco foi redirecionado para integração com o varejo offline e aumentar a eficiência de lojas tradicionais através de mudanças na cadeia de valor e suprimentos. A estratégia se provou eficiente com o grande exemplo sendo o supermercado Hema, do Grupo Alibaba, que atingiu um faturamento por metro quadrado 3 a 5 vezes maior que outros supermercados tradicionais chineses e maior que lojas de luxo como Tiffany e Michael Kors.

O que tem de Novo no Novo Varejo?

O Novo é relativo. No passado, tivemos diversas inovações que hoje, são consideradas como norma. Como a invenção do cartão de crédito em 1920, o primeiro código de barras da marca de chicletes Wrigley em 1974 e o primeiro pedido online da Pizza Hut em 1994. O que tudo indica é que estamos vivendo uma nova fase que, assim como os exemplos citados, se tornarão normas.
Então qual é a real inovação que o chamado “Novo Varejo” trás para o setor? De forma direta, o Novo Varejo enfatiza a coleção e compartilhamento de dados. É a utilização de diversas tecnologias e conceitos de Online para Offline (O2O) e Online misturado ao Offline (OMO) para estar presente em diversos aspectos da vida do consumidor. O esquema abaixo mostra como o Grupo Alibaba, junto com seus parceiros, conseguem estar presente e captar dados de seus consumidores em diversas pontos.
Mas o que fazer com tantos dados? É na aplicação dos dados que o Novo Varejo se diferencia. Ele pode ser usado para achar e cumprir desejos não explorados do cliente, personalizar como, o que e por qual preço os produtos são oferecidos ao cliente e até mesmo para o desenvolvimento de novos produtos, baseado na análise de dados e identificação de necessidades. É o modelo C2M (Consumer to Manufacturer), que pode diminuir o tempo de desenvolvimento de novos produtos drasticamente.

Quais empresas brasileiras tem se espelhado no modelo de Novo Varejo?

Hoje, vemos diversas empresas do setor que já integram o seu ambiente de e-commerce com suas lojas tradicionais. Porém, temos como grande exemplo a Magazine Luiza, a começar pelo desenho de seu ecossistema que lembra bastante o do Grupo Alibaba.
Hoje, vemos diversas empresas do setor que já integram o seu ambiente de e-commerce com suas lojas tradicionais. Porém, temos como grande exemplo a Magazine Luiza, a começar pelo desenho de seu ecossistema que lembra bastante o do Grupo Alibaba.

Saiba Mais

ONDE ESTÃO AS OPORTU
NIDADES?

Em um primeiro momento, o Novo Varejo se desenvolveu mais rapidamente em 5 categorias de produtos: Produtos alimentícios frescos, Vesturário, Beleza, Mobília e Eletrônicos. Outras 3 categorias também mostraram bastante potencial: Produtos de luxo, Acessórios e Produtos para casa.

Para as empresas que desejam ser early-adopters da onda do Novo Varejo, são necessários esforços incrementais, como otimizar processos já existentes; mas também necessário olhar para os esforços radicais: como modificar toda a cadeia de valor para se preparar para as novas necessidades do consumidor?
Na China, diversas tecnologias estão aplicadas para “hackear” maneiras para aumentar a eficiência, como mapa de calor e RFID em produtos para análise de tráfego e aumentar a conversão. Para isso, é fundamental observar o que vem acontecendo no setor de varejo chinês.

Onde podemos melhor observar o Novo Varejo da China?

Nível 1: Catalisadores 2 filas – Serviços que integram o Novo Varejo e servem para unir canais online e offline

O2O

OMO

Nível 2 – Retail as a service – Varejo como serviço: serviços inovadores que integram o Novo Varejo

Nível 3 – Novo Varejo em sua essência – ambientes que possuem diversos conceitos do Novo Varejo de forma integrada.

en_USEnglish